Ana Maria, Roni Von e auto-ajuda

Nessa vida vale a pena ver de tudo e assistir de tudo, desligar-se mesmo dos pré-conceitos.
Todas às terças-feiras, entro mais tarde na faculdade e consigo assistir o começo do programa da Ana Maria Braga.

Acho que o programa dela, ganha de muitos outros na televisão. Sua equipe adotou um estilo que preza pelo incentivo de viver “bem” a vida. E isso é raro nos programas de tv.

O melhor é a mensagem do começo. Nela, Ana interpreta uma história ou lê um poema sobre auto-estima e otimismo. Acho que pelo fato da apresentadora ter enfrentado momentos difíceis em sua vida, como foi na época em que esteve doente, ela dedica uma grande parte do programa a reflexões sobre como viver de uma maneira mais feliz.

Nesse mundo louco, nunca as mensagens e livros de auto-ajuda estiveram tão em alta. Ainda há muitas pessoas, muitas mesmo, que não gostam. Acham que é bobeira, que não adiantam de nada. Que ao lerem ou ouvirem, alimentam o fôlego de enfrentar a vida, mas que após cinco minutos, os problemas voltam a atormentar.

A capa da Veja, semana passada, foi sobre o livro ” O segredo”. Você deve ter ouvido falar. A repercussão foi tremenda, tanto do filme que está para ser lançado, como do livro que ainda não está disponível na versão em português. Como a crítica disse, “o segredo” nada mais é do que um conjunto de tudo o que já foi publicado no setor de auto-ajuda.

Cá entre nós, se você nunca dedicou um tempinho da sua vida a esses livros que prometem ser os melhores amigos do homem, está, de fato, perdendo.

Muitos são clichês, admito. Mas outros……. são geniais.

Quem tornou famosa essa onda de “aprender” a conviver com os outros e ser feliz, foi o escritor
Dale Carnegie com o famoso “Como fazer amigos e influenciar pessoas”, lançado em 1937. Como eu gosto muito de comunicação, acho que nos meus 14 anos, peguei para ler de bobeira e até assustei. O livro é genial. Desperta para coisas que para mim, eram impensáveis até então. Desde a forma como você pronuncia o nome das pessoas (que por sinal, soam como música no ouvido delas) até o último “tchau, e até logo” no final da conversa.

Esse último, volta-se mais para o estilo oratória, mas deixa clara a idéia de que “para se relacionar bem, é preciso estar de bem”.

Cada pessoa é de um jeito. Certo. Algumas são naturalmente “entusiasmadas” e outras “desiludidas”. Eu acredito em mudanças.

Tudo é possível, e o legal é perceber que os bons, os bons livros de auto-ajuda, nos despertam para coisas que às vezes estão esquecidas no nosso interior.

Não quero ser piegas neste blog meus queridos, mas é que tem coisa na vida que às vezes estão do nosso lado e não percebemos.

A vida é uma completa abstração, certo? Certo.
Então por quê não viver a melhor abstração possível?

Esses dias, estava assistindo o programa “Todo Seu”, do Ronnie Von. É uma boa pedida para quem fica acordado até tarde e está cansado dos filmes repetidos da Globo. Uma vez lembro de ter lido uma reportagem que o programa Do Ronnie alcançava 1 ponto na audiência.
Mas 1 ponto com louvor. Seu programa faz o estilo pop cult. Traz cantores de música popular brasileira, e convidados intelectuais.

O Ronnie tem uma ‘sacadas’ interessantes. O apresentador faz o estilo romântico. Apelidou cada uma de suas telespectadoras de “minha bonitinha” e vive recitando frases que incentivam a levar a vida sem se preocupar muito com ela.

No bloco mais famoso do programa, ele traz três convidados homens e discute um assunto.

Essa semana, entretanto, o assunto era ” E se sua vida fosse um filme”?

Entre os convidados, um jovem, um adulto, e um senhor. Os três, ao longo do programa, contaram histórias de terror, aventura e romance de suas vidas.

Gostei e parei para assitir. Bacana. Todo mundo tem histórias como essas. O interessante é que quando o tema foi “filme de comédia”, os três começaram contaram fatos que seriam trágicos se não fosse cômicos, como diria a famosa expressão.
E algumas coisas na vida são assim mesmo. Difíceis, mas que depois de um tempo viram comédia. Bom, é levar tudo para esse lado. O lado da risada e do bom-humor. Ninguém gosta de conviver com uma pessoa que só contra problemas, principalmente quando são problemas em que ela deveria rir, e não chorar.
É mais ou menos isso que os livros citados pregam.
Você pode achar brega e fora e moda falar de Ana Maria, Ronnie Von e auto-ajuda.
Mas você concorda comigo que os três estão semeando o que a de melhor nessa vida: ser feliz!
É diferente você dizer que não acreditar em milagres a dizer que tudo… é um milagre.
.
;;;;;;;;;
Clara Vanali escreve todos os dias nesse blog. Hoje ela tenta convencer os seus leitores a comprarem um livro de auto-ajuda.
A última atualização demorou para sair porque ela teve uma prova de história nesta quinta-feira.
Anúncios

8 comentários sobre “

  1. Oi Clara,Concordo com vc e tb nesta mesma linha de pensamento ontem ouvi uma oratória do senador Pedro Simon no congresso em que ele manifestava a sua indgnação para o fato das televisões brasileiras dedicarem tanto tempo na divulgação e detalhamento de tantos tipos de crimes, desavensas e desestruturações familiares, gerando um pensamento negativista e talves até multiplicador destas mazelas. Enquanto que o espaço dedicado a educação, a cultura e realizações positivas é minimo, e este sim seria a principal finalidade das mesmas….!Até mais,Bentinho.

  2. Clarinha, mandou mto bem.Boas dicas, o grande problema de algumas pessoas é que elas se acham auto-suficientes, portanto são egoístas demais para enchergarem um outro lado…principalmente se for tachado de brega!Portanto o “eu sofro mais” ou “minha vida é ruim” vem mto mais a tona do q um “por favor me ajuda”bjin

  3. Por um acaso eu conheço esse bentinho?kkkkk Acho que sim….Nossa…o Ronnie Von precisava ler esse seu blog hj…Tenho certeza de que ele iria ficar bem orgulhoso da repercursão do seu programa na tv…Eu acredito no “segredo”. Pode crer que dá certo!Bjo da Laris!

  4. clara!! O que vocie falou é certo, mas ainda tenho preconceito para com a auto-ajuda, que acabou sendo um meio rentável de ganhar dinheiro, para muitos. Além disso, esse tom de propaganda de “desperte o tigre em você” me dá nos nervos,será que a mensagem nnao poderia ser passada de outro modo??Beijão,Má

  5. Prestes a comprar um livro de auto-ajuda.Clarinha, como sempre vc ilumina minha vida como uma estrelinha, mas não a cadente viu, aquela q passa rápido, mas sim aquela q dura prara sempre.

  6. ô Clarinha…. gosto mto de entrar no seu blog, pq parece q ele sempre tem uma lição a me dar qdo eu mais preciso….É como um bom conselho de amiga…. só q coletivo!!! heheheJá q o individual eu posso ter tds os dias né????!!!!! Q bom….Mas qdo vc num tá aqui por perto, eu leio né???PARABÉNS mais uma vez!!Bjinho

  7. Clarinha, vc escreve tão bem que até Ana Maria Braga, Ronnie Von e livros de auto ajuda parecem bons por meio das suas palavras. Mas por favor, pq vc não dormiu uma meia hora a mais antes de ir pra facul?!Assim são os bons jornalistas, aqueles que prestam atenção em tudo a sua volta, desprendidos de preconceitos e ideologias. Eu não sou assim… tão assim…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s