Mãe


Quando a água do arroz estiver quase secando, tampe e desligue o fogo. Ele logo chegará ao ponto.

Quando eu mudei para São Paulo, fiquei quinze dias aqui e chegou o dia de visitar a família em Araçatuba. Lá, no meu quarto, há um mural cheio de fotos minhas em Araçatuba. Lembro que eu sentei na cama e comecei a chorar:

-Mãe, não vou aguentar. Acho melhor desistir.

Minha mãe poderia ter feito tudo. Ter chorado comigo. Ter me ajudado a desarrumar a mala de uma vez por todas. Ela não fez nada disso:

-Fique lá filha, fique lá. Vai dar certo.

Só acrescente o creme de leite, quando o strogonoff estiver bem quente. E depois de acrescentá-lo, não deixe que levante fervura.

Lembro quando eu era criança, minha mãe deitava no sofá e eu no tapete do chão da sala. Às vezes, ela adormecia. Eu pegava em sua mão e me sentia a pessoa mais segura do mundo. Porque eu estava com a sua mão.

Quando me mudei, tinha medo da saudade que sentiria dela. Da ausência que iria me acompanhar. Da mão que eu não seguraria ao chegar em casa.

Às seis da tarde, era hora dela voltar do trabalho. Sempre passava na padaria e trazia pão de queijo. Só de ouvir o barulho das sacolas eu já saia correndo até a porta.

Toda vez que for sacar dinheiro do caixa eletrônico, retire o extrato antes.

Minhã mãe sempre foi nossa melhor amiga. Minha e das minhas irmãs. O consolo dos amores frustantes e das amizades perdidas. Das dúvidas de adolescente a angústias de adulto.
Com ela não dá para disfarçar. Ela sabe, exatamente, a diferença entre estar feliz e estar triste. Ela sente, e não precisa dizer.

Se ele não te liga, é porque ele não gosta de verdade. Não dá o valor que você merece.

Minha mãe, nunca olhou o meu caderno.
E a gente, nunca deu motivo para que ela olhasse. Ela confiava. E esperava que a gente estudasse.
Ela nunca pressionou no momento do vestibular. Ela sabia que se fosse a hora eu passaria. Ter paciência foi uma das coisas mais ricas que eu aprendi com ela. Quando você tem paciência até as coisas mais intoleráveis, não têm a mínima importância.

Faça sua parte filha. Quando você faz a sua parte, não precisa se preocupar com mais nada.

Hoje eu sei que embora ela esteja a 550km de distância, está do meu lado.
Eu me lembro dela, no mínimo, umas 700 vezes por dia.

Desde a hora que acordo até a hora que seco o cabelo antes de dormir.

Em todos os lugares. Me diz que eu não devo atravessar a rua ouvindo Mp3, que devo guardar o celular no zíper de dentro da bolsa, que devo levar frutas para comer na faculdade. Ela me lembra que eu não devo coçar os olhos e roer a unha. Ela me diz para eu almoçar direito.

Que não brigue com a minha irmã. Que não exagere no café. Que eu sempre saia bonitinha porque…nunca se sabe né, rs.

Se estiver muito escuro, volte de táxi.

É por essas e outras, que a minha saudade me faz lembrar de tudo.
Viver longe da minha mãe, é sentir a presença dela o dia todo.
Um dia percebi, que estar sem ela, é estar com ela o tempo todo.
No chá, coloque cinco gotas de adoçante.

Sempre gostei de ir com ela ao supermercado. Eu com o carrinho observando-a escolher as coisas.
Hoje, fui ao mercado. Achei que estivesse sozinha. Mas na hora de escolher o palmito, sem pensar, fiquei olhando a cor da água dentro dos potes. Se a água é branca, não pode. Tem que ser clarinha.
Lá estava minha mãe.

O que você acha que é problema…. não é, nem de longe, um problema.

Ela, o meu melhor aprendizado, o meu coração.
Mãe….. meu porto. Meu caminho.
Nesse dia das mães, ela estará em Araçatuba. Eu estarei em Sampa.
Mas de maneira alguma, estarei sem ela.
Anúncios

11 comentários sobre “

  1. Meu Deus! O que vai ter de Juliana, Clarisse, Sabrina, Luciana, Lo, etc, etc, etc, etc chorando não é brincadeira!É, Clarinha, se você tivesse nascido em Guarulhos não ia ter esse problema. To brincando. Que idiota esse Lucas!!Bom, eu pelo menos aproveito minha madre aqui. Levei-a à C&A hoje. Mulher gasta, hein, impressionate!! Vou ter que trabalhar mais uns tres meses pra comprar tudo aquilo de novo.Manda um beijo pra sua mãe, liga umas 700 vezes pra ela no domingo!

  2. Minha mãe, como ela mesma se descreve, é mistura de mãe italiana com judia;; Não ter a menor paciencia, se preocupa, grita, chora… mães não são todas igauis, mães são únicas…

  3. Hahaha… esse Dedão hein Clarinha???Mas devo admitir, num chorei por pouco… principalmente pq estou longe da minha mãe…E ela também está sempre perto… hoje ela já ligou duas vezes pela manhã, preocupada com várias coisas!!!! Ah mãe, que falta você me faz!… Que vontade de te dar um abraço apertadinho e um beijo na buchecha, daqueles de estalar!!!! É… a distância só nos faz dar mais valor à elas ainda…Manda um bjo pra sua mãe!!!

  4. Com umas filhas super poderosas desse jeito….só poderia ser mesmo uma mãe mulher maravilha não é?Bjo da Laris…

  5. Ahh…eu chorei sim!!! Minha mão estava ao meu lado no dia das mães, na verdade, ela está em todos os dias. Mas os lembretes da sua mamis são iguaizinhos aos da minha mainha. E sim, ela lia o meu caderno, não por falta de confiança, mas pq conhecia mto bem a filha q tinha!! hahahahaFELIZ DIA DAS MÃES p tds as guerreiras!!Bjaoo ternurinha

  6. clarinha!!!! bah… adorei os conselhos… 5 gotas no chá! vou mostrar este texto pra minha mãe! hahahah… beijo! ah, concordo com o comentário da marina… únicas…

  7. Coisa mais linda oq vc escreveu pra sua mãe, vou copiar e mandar num e-mail pra minha! HAHAHAHA…brincadeirinha!Mas mto lindo mesmoooo! Beijos da Rika, querida!

  8. Que lindas as lembranças e o carinho que você tem por ela.Também amo a minha mãe, mas sei que nossa relação mãe e filha é muito desgastada.. eu gostava de abraçá-la, mas ela não gosta de ninguém pendurado nela! Eu sou de Peixes, ela de Áries, eu sou sentimental, ela é bem objetiva, sempaciência e ríspida, embora seja educada e tenha um bom coração, como eu. Mas eu sou ainda mais sentimental, fico triste quando aumenta o tom da voz e aí aumento o meu e perco as estribeiras, viro até mal educada, mas sei que tive uma boa educação e, na hora de utilizá-la, sei bem como.O problema é que desde pequena ela via meus defeitos, acima das qualidades, pois ariano tende a dizer que o que está bom vc já sabe, não precisa ser dito, já os defeitos devem ser destacados. Mas isso machuca, e as vezes até humilha, pois vc se sente inseguro, sem credibilidade.O que mais quero é passar na entrevista que estou fazendo, pois será o início da escalada, pra ela ver que tenho sim minhas qualidades, principalmente profissionais. Mas tb como pessoa, tenho sim, por mais atrapalhada e desajeitada que possa ser.Mas… mãe é mãe, né? Ainda mais mães de meninas, mulheres. Os toques são os mesmos…voltar de táxi… o que maaais me identifiquei foi o de sair sempre bonitinha. Minha mãe é a elegância em pessoa, não precisa de roupas de marca, ela sabe se vestir bem, sem necessária sofisticação, embora às vezes as pessoas achem que ela é madame, pelo jeitão mesmo! Brincos, colares, pulseiras, pintura não exagerada mas sempre ali, pronta, brilho nos olhos, beleza, inteligência, tudo nos trinques. Eu não, tem dia que me dá na telha, me arrumo, tem dia que saio como um espantalho. Com a cara mais branca que a do Michael Jackson, e com olheiras! kkkAmei seu texto, seus sentimentos, sua forma de manifestá-lo!Abs de quem vc não conhece, mas td bem. A net é assim mesmo! Pública! Então, Publitecle tb!bj

  9. Pingback: with love. « …Às Claras….

  10. “Viver longe da minha mãe, é sentir a presença dela o dia todo.”
    Clarinha, quem tem a ventura de conhecê-la sente que é preciso crescer muito ainda, para ser ideal. Você é a diferente a quem todos querem se igualar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s