O primeiro oftalmologista
.
A lousa estava toda embaçada. E todas as manhã era a mesma coisa.

“Mãe, acho que preciso usar óculos”

Estava na 4ª série. Naquele tempo, ainda existia a disciplina “Ciências sociais” que unia a Geografia e História. Mas os mapas territorias e as datas comemorativas, eu não enxergava.

O mês era novembro. O uniforme logo ficaria no armário pelos próximos dois meses.

Não me lembro se fazia provas nesse período da escola, mas havia algumas atividades que tomavam toda a minha tarde junto com a aula de natação e os filmes antigos do SBT.

Contas de matemáticas, regras de português e maquetes a fazer. Mamãe achava que era cansaço ou estresse. Mas estresse na quarta série?

Fomos ao médico. Não consigo me lembrar do seu nome mas o guardei por muitos anos como o médico mais arrogante de todo o planeta Terra.

Quando alguém me falava sobre pessoas mal educadas, logo me recordava do meu primeiro oftalmologista.

Após a minha primeira consulta, algo para sempre mudaria. Óculos.

Sentei-me a sua frente. O jaleco branco quase não cobria a barriga que se acomodava na cadeira todas as vezes que ele sentava. A armação dos óculos se movimentava de uma maneira esquisita todas as vezes em que ele ria alto e deixava a mostra, sua arcária dentária cansada.

Na parede, uma projeção de letras que se misturava com números que se perdiam no meu nervosismo. Tudo poderia acontecer aquele dia, menos eu descobrir uma miopia.

Lembro de ter errado todas as letras e do rosto espantado de minha mãe.

-“Ela tira boas notas na escola?”

A minha antipatia por ele começou nesta frase. Meu boletim, já sabia mamãe, era azul.

Ele dizia que as notas azuis eram quase um milagre já que o meu diagnótico, mesmo sendo poucos graus, já comprometia a visão à distância.

-“Quando posso operar?”

Foi uma das poucas coisas que disse na minha primeira consulta.

-“Aos 21 anos, você pode.”

Eu tinha 12.

Sorri, querendo ir embora. Ele rabiscou em uma folha de papel, graus e curvaturas para aquele que agora eu só poderia tirar para “tomar banho e dormir”. Nunca mais esqueci sua última consideração.

E nunca mais pisei no seu consultório.

As férias chegaram e os óculos começaram a me acompanhar a partir da 5ª série. Ninguém da minha sala usava e esse foi o motivo da minha indignação.

Era um objeto. Um aro. Ser estranho.

E eu só pensava no dia em que comemoraria os meus 21 anos. Essa seria a data em que eu voltaria a ser eu mesma.

Minha família dizia – “imperceptível”;
Os amigos – “intelectual”.

No começo, os óculos foram um drama.

Com o tempo, acostumei.

Eles iam comigo até a escola, academia, festas e aula de tênis.

O oftalmologista já não era o mesmo. Os óculos também não. Com os anos, descobria armações que não chamavam a atenção. Mamãe sempre dizia -“bobagem”.

Aos 14 anos, comprei minhas primeiras lentes de contato.

A solução.

Me livraria deles.

Mas não foi assim.

As lentes não eram indicadas para as 24 horas. Reservei-as para as festas de sábado à noite.

15/16/17 anos.

18/13/20/21 anos.

Na semana passada uma amiga perguntou:

“Ei, uso óculos há um tempão, você também. Não tem vontade de operar?”

“Claro, mas só posso com 21.”

Mas eu já tinha 21. Há dois meses, era essa a minha idade.

A idade que eu esperava desde os 12. Talvez naquele dia, já devesse fazer uma consulta, analisar as possibilidades, me preparar para aposentar os meus óculos.

O tempo passou e já não fazia diferença. Há tempos achava a minha armação vermelha, um charme.

E acreditar que quando o dia chegasse tudo seria diferente é, de fato, bobagem.

Pensamos que quando aquela semana cheia de trabalho acabar, a história a ser contada será outra e quando ela acaba, tudo continua ali.

Vou corrigir a miopia, mas agora por facilidade, não por achar que tudo irá mudar. Porque o que você é hoje, continuará sendo amanhã. Nada vai se tranformar na semana que vem porque o dia estará mais quente ou você estará mais magro; porque comprou um carro novo, ganhou um aumento ou tirou os óculos.

Você será feliz o momento que quiser. E tudo o que você leva com você faz ser quem você é, a sua personalidade.

Se você também quiser tirar os óculos, tire.

Mas o que você é já está dentro de você, hoje.

Aproveite.

Anúncios

7 comentários sobre “

  1. Que bonita imagem (e texto, claro!).Você toca em um ponto interessante… por mais que mudemos o exterior, o que fomos não vai mudar. Não podemos apagar o passado simplesmente tirando o óculos. Ele não vai nos fazer mais bonitos ou feios; vai nos fazer diferentes por alguns momentos… e só.Beijos!

  2. Que sensibilidade absurda.Eu uso óculos na verdade deveria né…mas ainda não me permiti me sentir da forma como o texto mostra. Ainda acho que fico estranho e que vão gostar menos de mim.Agora quando estou com a lenta tudo muda…o mundo muda… engraçado… né?!Meu problema é outro auto estima e não os graus que deveria usar para corrigir o problema que tenho…Infelizmente ainda é assim.Belo texto bjão!

  3. A Clarinha que eu conheço é linda, de óculos ou sem…Pouco importa os seus vinte e um anos, ou a armação que a acompanha todo dia até a faculdade. O que importa é que ela apareça, e que eu possa ver meu reflexo feliz quando tenho minhas boas e fiéis companhias diárias, nem que seja pelas lentes do óculos de grau, mas, sinceramente, prefiro que seja pelo reflexo dos óculos de sol, numa bela manhã…

  4. Meoo… é armação de óculos, som de concha, mistério do amor. Não importa… vc manda bem sempre.Por isso que falo q esse Blog fará ainda mto sucesso!!!

  5. VC escreve muito bem… Cai no seu blog numa tropeçada on-line, e acabei lendo algumas coisas… vc é violeira! toco com alguns violeiros em Sampa, e sou músico tb… entra no meu blog http://www.rogeriotemporini.blogspot.com será uma honra! Bem, vou indo… da próxima, tomamos um suco de melancia, ok?:>) Ótima tarde, violeira!

  6. Achei seu blog por acaso. Achei muito bacana…mais um para fazer parte do meu vício de textos.rsrs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s