Obrigada

Quando se é jornalista é difícil não se envolver com a história do entrevistado. Muitas vezes, antes de se realizar uma grande reportagem, conversa-se com uma fonte repetidas vezes até que não se perca nenhum detalhe daquilo que se quer contar.

Há fontes que ficam tão agradecidas de poderem de, alguma forma, tornarem públicas as suas histórias, que oferecem pequenas lembranças ao jornalista. Muitas vezes esse presente vem em forma de telefonema, de um abraço ou até de um chocolate.

Para uma matéria que estou fazendo sobre jovens que querem ser políticos, entrevistei um menino de 18 anos, natural de Cachoeira Paulista. Engajado e determinado, ele pretende um dia, ser presidente da República.

Desta vez, surpreendemente, ao final da entrevista, o jovem foi até a sua mochila e, quando voltou, apareceu com uma grande bandeira do Brasil. Dessas que a gente sempre tem vontade de comprar na Copa do Mundo, mas deixa quieto e acaba suspirando pela bandeira alheia.

Ele quer ser político, quer melhorar o país, quer ser diferente. Nos entregou o símbolo do país para, de alguma forma, selar esse compromisso.
Eu, que nunca tive uma bandeira dessas em casa, fiquei surpresa e feliz.

– Quer mesmo nos dar a bandeira? Não irá fazer falta?

Ele não quis conversa. Dobrou o pano em quatro e deixou em nossas mãos.
Obrigada.

Anúncios

Um comentário sobre “Obrigada

  1. Que legal amiga. Eu não sabia que você era jornalista…maravilha. Acho uma profissão super completa e ao mesmo tempo desafiadora…viu.

    abraços

    Hugo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s