Traduzir-se

Uma parte de mim
é todo mundo
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.

Uma parte de mim
é multidão:
outra parte
estranheza e solidão.

Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
almoça e janta:
outra parte
se espanta.

Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir-se uma parte
na outra parte
– que é uma questão
de vida ou morte –
será arte?

(Ferreira Gullar)

5 comentários sobre “Traduzir-se

  1. Uma parte mim é quase um oceano tranquilo,
    a outra é um maremoto,
    e,
    assim
    vivemos felizes
    há 20 anos,
    sempre juntos….

    Amo vocês!!

  2. Pingback: Sobre morte, trabalho e amor. | …Às Claras….

Deixe uma resposta