mal resolvido

Conversa na recepção: Conversa vai, conversa vem, digo que sou psicanalista. A moça entra em pânico, temerosa de que eu tivesse poderes para ver sua alma. “Eu já fiz terapia”, ela disse. “Mas agora estou resolvida”. Pergunto: “Quando se deu o óbito?”. Ela me olha sem entender. Óbito? Explico: as únicas pessoas resolvidas que eu conheço estão no cemitério.

Rubem Alves, na crônica “Psicanálise”.

A foto é daqui.

Um comentário sobre “mal resolvido

Deixe uma resposta