O quê você faz pelo amor?

Alice e Jonas. Amigos de longa data.
Trabalho, mulheres, homens e cerveja. Tudo era assunto na mesa de bar.

– Ei Jonas, tava aqui pensando…

– No quê?

– Quando você está desempregado…. você vai atrás de um emprego, não vai?

– Ué, lógico. E tu não lembra daquela vez que fiquei 2 meses mandando currículo para empresas, igual a um maluco? Não sosseguei enquanto não me apareceu um trabalho.

– Hum…

– E?

– Pois é. As pessoas se esforçam para conseguir um emprego, certo? Como você disse, mandam currículo, pedem indicações, alopram e enlouquecem enquanto não arrumam algo pra fazer…

– E daí, Alice?

– Por quê a gente se esforça tanto no lado profissional e não despende do mesmo esforço no lado pessoal?

– No lado amoroso, você quer dizer?

– Isso. Porque a gente sempre batalha para conseguir um trabalho e não luta o suficiente para conhecer um amor satisfatório?

– Hum….mas e as tantas baladas que eu já fui? Bebedeiras e noitadas até de madrugada à procura de uma mulher que me ame?

– Ah, Jonas, para. Pensa comigo, vai. O lado profissional tá sempre em primeiro plano.  No fundo, todo mundo sempre diz a mesma coisa quando se trata de amor: “melhor deixar as coisas acontecerem….”.

– E qual é o problema?

– Você por acaso “deixa as coisas acontecerem” quando está desempregado?

– Hum…não.

– Viu?!

– É…… verdade. As pessoas nunca colocam a o êxito da vida amorosa como um objetivo a ser alcançado. Encontrar alguém bacana é sempre uma ação que acaba sendo guiada pelo destino.

– Exato. Mas se o trabalho não é conduzido pelo destino, por que o amor haveria de ser?

– E o que você sugere? Enviarmos currículo para o cupido?

– Jonas! Eu não sei o que fazer. Só sei que a vida amorosa é importante também, poxa. Igualmente importante? Mais importante? Pode ser que sim. Então por que a gente, simplesmente, a deixa tão ao léu? Ao desejo dos óraculos, anjos e céus?

– Tá bem, Alice. Entendi. Então cancela essa cerveja que a gente vai tomar um vinho. Já está mesmo na hora de deixarmos de ser bons amigos. Eu sempre te achei bem bonita.

*Essa ilustração linda é da Anna Cunha.

Anúncios

6 comentários sobre “O quê você faz pelo amor?

  1. Mandar currículo para o cupido é muito boa!
    À medida em que a conversa segue, o papo de botequim evolui para papo de cerveja e termina em vinho filosófico. Mas se não trabalhar… Em péssimo italiano, há uma música que alerta “Chi non lavora, non fa l’amore…”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s