Carinho

Dizem que terminar um livro é como romper um namoro ou se separar de um ente muito querido. Estou tendo essa sensação ao finalizar Inês Pedrosa. Há tempos não lia algo que fizesse tão bem antes de dormir.

No trecho abaixo, a escritora narra uma história que aconteceu com um de seus personagens, Bárbara – deixada pelo namorado assim sem mais. É imperdível:

O pai deu-lhe um ramo de rosas sem cartão, dizendo que o rapaz lhe deixara as flores antes de ir trabalhar, e que voltaria mais tarde. Não voltou; mandou-lhe uma carta muito curta dizendo que aceitara uma proposta de trabalho irrecusável no Algarve, que continuava a ter muito carinho por ela e que se veriam um dia destes. Carinho. A palavreca chilra que os homens usam como preservativo do amor. Que se foda o carinho. 

* trecho do livro Os Íntimos. 

Anúncios

3 comentários sobre “Carinho

  1. “A palavreca chilra que os homens usam como preservativo do amor. Que se foda o carinho.” – É até difícil de dizer o quanto isso é demais. Preservativo do amor… dá pra pensar em bastante coisa. Desde “preservar” uma possibilidade futura com a dona até um “inibidor”, uma camisinha, para que o gozo intenso desse danado (o amor) não fecunde nenhum coração… Vcs sabem, né? Filho é pra sempre rs
    Beijos, Clarinha… e obrigado pelas gotas de inspiração!

  2. Pingback: adeus, pedrosa. | …Às Claras….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s