covardiamos.

– A vida é uma merda. A gente gosta de quem não gosta da gente. E quem gosta da gente, a gente não gosta.

Essa foi a resposta de um amigo quando questionado por mim porque não ligara para a menina que ele saira na noite anterior.

César não ligou porque não gostou da moça o suficiente para marcar um segundo encontro. Ela provavelmente esperou pelo retorno e ficou sem. Coisas da vida, um dia a gente sofre, no outro põe alguém a sofrer.

O gostar provoca diversas insatisfações e assim há sempre de ser. O amor tem mesmo dessas patifarias – muitas vezes separa o amante do objeto amado; e o objeto amado põe-se a amar um amante distinto que não necessariamente irá corresponder aos seus mais doces sentimentos.

De certa forma, isso pode ser bom. Não ter o amor correspondido significa que a pessoa sabe do seu interesse mas dele não compartilha. Mau é sentir amor e jamais saber qual seria a reação da pessoa se ela soubesse de tamanha estima. Cá entre nós, esse lema de que o que vale é a iniciativa é bobagem quando se trata de amor. No fundo, somos todos covardes que nos apaixonamos, guardamos e deixamos o tempo levar. Quem sabe assim a gente esqueça, o afeto passe e um novo amor apareça – dessa vez, já claramente apaixonado por nós e que nos poupe o esforço de dar o primeiro passo ou passar noites em claro a pensar sobre isso.

Frustra-se o humano ainda assim já que não é sempre que os amores que nos faltam o ar aparecem. daqueles que nos fazem pensar – eu poderia ficar a vida inteira com você. desde agora. e se soubesse. desde o começo.

e pelo silêncio eles se vão e passam distantes. são apenas vontades.

Covardes. Um bando deles.
Um monte de nós.

Anúncios

7 comentários sobre “covardiamos.

  1. Essa crônica tem tudo a ver comigo.
    Isso acontece TODOS OS DIAS, em todos os lugares do mundo. Amores não-correpondidos por todos os lados. Sofrimento, dor, choro e solidão.

    E eu fico a me perguntar: a que será que se destina sofrer por Amor? Porque temos que sofrer por Amor?

    São perguntas sem explicação. Afinal, existem coisas que não tem explicação. Apenas a constatação.

    Resta o conformismo para os mortais.

    Grande Abraço.

  2. Amar é correr riscos: correr risco de não ser correspondido; correr risco de sofrer; correr risco de magoar-se e, acima de tudo, correr o risco de ser feliz… Mas todos esses ricos valem a pena, por mais injustos que sejam. E quem disse que o amor é justo?

  3. Pingback: de dentro – quem é que entende. | …Às Claras….

  4. Pingback: de dentro – quem é que entende | …Às Claras….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s