sobre o nosso tempo, que já é tarde.

falar sobre a vida não pode ser mais interessante do que vivê-la.
sabe quando pensamos que é cedo demais para falar? para expor esse tanto de emoção, de festa, dor e amor que fica aqui dentro? isso está errado. e não é cedo demais para eu comentar que está errado. porque é errado.

minha mãe me ligou hoje, agorinha.
para dizer – na verdade, para me lembrar – que tudo o que está acontecendo agora já é agora. não é cedo demais. nós não precisaremos esperar até mais tarde, até os 26, até a passagem da crise dos trinta. até a chegada da maturidade, da experiência e dos desejos realizados. minha mãe ligou para dizer que hoje não pode jamais ser o dia das insatisfações porque se ele o for, já terá passado.

esse sentimento de não expressarmos nossas vontades e intenções porque elas poderão ser feitas no futuro…..não façamos isso. os dias passam e nós já estamos vivendo. está tudo valendo. o esquecer do guarda-chuva, o almoço, o lanche da noite, o banho, esse período que passamos em frente ao computador. isso tudo não é uma preparação. o metrô que você usou para chegar ao trabalho hoje, era exatamente ele. o que você sentiu nesse momento também já estava fazendo parte da sua vida. da minha.

esse cuidado pelo precoce, pelo tomar os pés pelas mãos pode nos custar energia. façamos reais esse monte de sensações agora, mesmo que estejamos um tanto quando incertos, medrosos e por vezes, solitários.

pela felicidade e tristeza, vamos ser nós mesmos, por favor.
às vezes eu tenho a sensação de que criamos todos um personagem, quase um ator, que não chora, não teme, não tem saudades – apenas para sermos pessoas irresistívelmente interessantes e seguras. nós não somos nada disso. a vida nos quer sinceros, intuitivos, cheios de coragem para assumirmos que muitas vezes é isso que nos falta.

mais vontades pelo dia de hoje, por elogios sinceros, por relações humanas que ultrapassem a nossa falta de tempo, de fé e sono.
em um mundo em que todo mundo fala em amor, vamos colocá-lo na frente de tudo, logo de uma vez. e deixar de pensar que as coisas que desejamos acontecerão apenas lá na frente.

tudo já está acontecendo.
o que você quer e o que não, também.

este texto na tela, você aí do outro lado lendo. que tal? quais sensações te aparecem? o que você tem vontade de fazer agora?

o mais bacana disso – depois de ler isso tudo  – é ter bem fresco na memória que a sua próxima ação poderá, se você quiser, ser realizada com a maior paixão que você jamais imaginou que poderia sentir.

aproveite isso, antes que a gente se esqueça.

*esse trecho de livro acima do post, absolutamente verdadeiro, foi tirado deste tumblr.

Anúncios

8 comentários sobre “sobre o nosso tempo, que já é tarde.

  1. Eu acompanho o seu blog faz muito tempo! Acompanho assim, quietinha, desfrutando dessa sua visão de mundo que tanto me faz rever a minha. Vou aqui, do outro lado, nessa confortável sensação de pertencimento, que geralmente atinjo quando leio um texto seu. Quanta beleza, quanta sensibilidade, quanta verdade difícil de reconhecer e de admitir. Que talento com as coisas da vida!

    E depois de ler esse post, a vontade que tive foi de escrever isso pra você. Não que você precise, sabemos, nós duas, a riqueza do que você escreve. Mas ainda assim, hoje resolvi deixar um pouquinho de lado o meu silêncio, numa forma de retribuir o que você faz quando também abandona o seu. Hoje essa sua reflexão compartilhada conversou comigo e me fez tomar novo fôlego, num impulso tão instantâneo como esse que me fez escrever aqui. Obrigada por isso. Obrigada pelas palavras de sempre. Obrigada pela honestidade em dizer o que sente. Parabéns pela clareza das suas ideias e do seu coração.

    • Juliana, querida.
      Muito obrigada pelo seu sincero depoimento. A ideia aqui é justamente falar daquelas coisas que a gente não pode/consegue dizer no mundo real, na correria da rotina. Puxa, você não sabe como é legal entrar no blog e ler um comentário como esse. Fico feliz que você se identifique com os textos, muito obrigada por tamanha sinceridade. Imagina, para mim é muito gratificante saber que as palavras servem de reflexão e impulso. Obrigada, de todo coração. Beijos!

  2. Sofri (sofro) com transtorno de ansiedade e com certeza o remédio mais poderoso contra esse problema sempre foi fazer esse exercício que você descreveu com tanto brilho no texto. É muito importante viver o hoje. Parabéns pelo texto!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s